Fairy Tail Eternum
Fórum role-play de Fairy Tail.
15/07 O tópico de regras foi atualizado com algumas informações referentes ao nickname de suas contas. Pedimos para que leia e caso esteja irregular, solicite a modificação para um administrador.

08/07 Lembramos a alguns usuários que os avatares precisam estar obrigatoriamente no tamanho 250x400, pedimos para que atualizem-os, afim de deixar o código ajustado de forma correta.

08/07Após algumas semanas de diversas mudanças, acreditamos que desta vez, o layout do fórum estará em sua forma definitiva. O problema dos links de acesso rápido foram consertados.
Últimos assuntos
» Registro de magias
Qua Nov 14, 2018 1:00 am por Crimson

» Ficha - Adam Schneider [Em Construção]
Ter Nov 13, 2018 1:40 pm por Schneider

» [Parceria] The Leaky Cauldron
Dom Nov 04, 2018 11:37 pm por Rebeca Pieterse

» [Parceria] - Fighters RPG!
Dom Out 21, 2018 1:26 am por Fightersrpg

» [PARCERIA] Blood Survivors RPG
Seg Out 08, 2018 2:12 pm por BS RPG

» Chegando com o pé na porta.
Sab Out 06, 2018 1:00 am por Death

» [Procurados] Carnificina Rage
Qui Out 04, 2018 7:27 am por Death

» [RP atemporal] - Um mundo cinza
Seg Out 01, 2018 3:10 pm por Nie Li

» Registro / Solicitação de narrações
Seg Out 01, 2018 9:01 am por Nie Li

» [Treinos] - Nie Li
Seg Out 01, 2018 8:59 am por Nie Li

» [ - TREINO - ] Testando limites
Sex Set 28, 2018 6:47 pm por Cameron Dupont


[TRAMA] A gata faz miau, o pão faz crac, o maromba faz birl, a hinata faz... e o coeio faz coeio.

Ir em baixo

Postado em Qua Ago 15, 2018 7:50 am








Kuroi Mirai


E
novamente estava àquela cidade que visitara atrás do paradeiro daqueles que me fizeram mal anos atrás, quando minha pele era alva e meus fios agora negros por todo meu corpo foram loiros e somente os que humanos possui, coisas que deitaram ao meu passado. Não sou mais a mesma de antes, minha jornada é um caminho que cabe apenas a mim escolher e muitos passos já me foram dados até aquele momento, aonde, vencendo os preconceitos e subjugo de minha espécie sou a atual líder de minha guilda e uma maga forte o suficiente para que não seja ignorada por aqueles que ouvem sobre a maga das luas de sangue.

O meu motivo de estar ali esta vez, era em auxílio a uma certa empresa que precisava que a magia do natal continuasse a ser espalhada, sendo que a mesma não tinha as condições para tal no momento visto incidentes ocorridos em sua estrutura que a prejudicaram. Eu, logo me disporia a fazê-lo, pela gentileza ou pela boa aceitação de mim no topo da hierarquia, um ato beneficente podia aumentar minha moral no novo cargo e ainda conseguiria a recompensa dos sorrisos nos rostos das crianças com as quais tinha um amor tão recíproco e puro, mesmo quando estas insistiam em brincar com minha cauda onde ostento a marca do cavalo alado.

- Olá companheiros... Cumprimentava chegando ao local onde a missão seria feita cumprimentando os presentes que seriam meus parceiros na empreitada, a maioria, me eram completamente desconhecidos, porém, dentre eles um me chamava a atenção por já fazer parte de minha história de outros encontros no local quando eu ainda era apenas uma maga rank D, me pergunto quanto ele evoluiu neste tempo se era tão forte já aquela época. - Olá Muscle man, como vai? Não vejo o garoto demônio por aqui, ele realmente não retornou depois que partiu? Dizia caminhando até Joe com um sorriso, não ciente do desaparecimento deste. Logo me voltaria aos outros, um homem de proporções ainda maiores que a de Joe, ao qual rapidamente cumprimentava. E aí projeto de Grand Tytan, prazer conhecê-lo... Prosseguia cumprimentando os presente pela garota de cunho meigo que os acompanhava. - Olá tudo bem, é bom ver que tem mais garotas por aqui Chibi-chan. Era irônico eu chamar alguém de baixinha, era, mas, isso não importava e para minha espécie eu seria considerada alta. E aí... coeio! sim, vou te chamar assim Me afastaria novamente até um local em que visse todos para enfim me apresentar aos que não me conheciam. - Sou Kuroi Mirai, conhecida como Blood Moons ou, apenas Kurai, chamem como preferir, não importa muito. Sou a líder da Blue Pégasus, será um prazer trabalhar com vocês.

A ultima notícia em questão podia surpreender a Joe, afinal, a última vez que estive com este ainda não era alguém de tal cargo, esperava que ele não achasse que menti ou omiti sobre isso e apenas compreendesse que foi uma ascensão recente, mesmo que eu não tenha explicado. - Bem, porque não começamos cada um, ou grupo, em uma direção específica e depois nos reencontramos aqui? Começaria dando instruções por instinto e querendo espalhar logo a magia do natal como era proposto, ajuntando um dos sacos de presentes que deveriam ser entregues, abrindo minhas asas e alçando um pequeno voo, o suficiente para que o grande saco não arrastasse e logo daria minha partida do local. - Vou indo, as 2 da manhã nos encontramos aqui novamente, para termos certeza de que tudo correu bem com os outros, certo?

Como uma bala sairia do local em direção as demais localidades da cidade de magnólia, de casa em casa buscando não esquecer de nenhuma zigzagueando entre todas da área que escolhi deixando a maioria dos presentes sem ser notada pelas crianças dos locais, apenas reservando-lhe a surpresa do natal para que estas se alegrassem e acreditassem no santa-san e não em uma gata negra qualquer levando presentes a eles.

Um dos presentes entretanto, seria aquele responsável por amolecer o coração de uma gata emotiva. Dentro de uma das vielas daquele lugar, passando rapidamente tinha meu voo cessado por algo repentino, em prantos, uma garota de fios azuis e roupas sujas, sentada ao canto do local escuro derramava-se em suas próprias lágrimas. Pouso de frente a mesma deixando o saco preso em uma haste metálica por ali. - Por que chora garotinha? - porque hoje é natal... a priori não entendia, mas, conversando um pouco mais com a mesma poderia sentir sua dor em suas palavras retirando de mim também algumas lágrimas e um abraço na mesma. ... meus pais morreram ano passado, eu estudava em casa para ser uma maga, mas quando eles se foram eu perdi tudo e hoje, sinto ainda mais falta deles, não há papai noel para órfãs não é mesmo.

Após o abraço, retirava do saco um presente, em silêncio, entregando-a e vendo sua expressão de surpresa me olhando com seus olhos verdes intensamente. - Quem é você? Sua pergunta me fazia pensar um pouco até que uma resposta me vinha como uma luva para a situação - Uma das renas? A garota dava uma gargalhada e junto dela também eu o fazia, passando a pata em seus cabelos e trazendo-a de pé, devia ter em torno dos seus doze anos, talvez um pouco mais e era mais alta que eu, além disso, afirmou ter estudado para ser uma maga. - Diga, qual seu nome? Não deseja se juntar a nossa guilda em Hargeon? Não somos a guilda mais poderosa do mundo mas, podemos te dar um lar e também uma família. a garota segurava minhas patas com força me trazendo para perto. - E-eu posso? Eu adoraria e... obrigada... eu não sei mais o que fazer... Um sorriso gentil fazia minha face enquanto eu a convidava a me acompanhar pelo final da caminhada em retorno ao ponto de encontro após terminar as entregas e a mesma aceitava. - Me acompanha? Eu sei que onde eles estão, estarão em paz se você estiver bem. Podia ouvir um sorriso a minhas costas em meio as lágrimas. - Certo! Posso puxar sua cauda? Não!

Após a noite em desventura e aventura, trazendo alegria aqueles que precisavam, contemplando ao longe o sorriso das crianças e a alegria de resgatar uma das crianças, a qual perguntando o nome no caminho descobria que se chamava Ichigo, retornava ao ponto de encontro, deixando Ichigo me esperando em um local próxima, sentindo a luz do luar nos banhar e aguardando também o retorno de meus companheiros para que pudéssemos dar por concluída aquela missão extra curricular que nós tínhamos aceito para aquele dia tão especial.

Quando chegassem, um a um me despediria, para então, retornar a minha guilda. Não era bom que me mantivesse afastada e deixasse tudo as costas de Knov para que este resolvesse. - Até mais Muscle man, Projeto de grand Tytan, Chibi-chan e Coeio, nos vemos depois em qualquer oportunidade ou, situação que torne essa aliança uma necessidade. Não com a velocidade de antes, agora partia tranquila, levando comigo a garota Ichigo que seria introduzida a guilda como uma de minhas acompanhantes, conseguia sentir o quão forte esta era e seria de grande valor em meu auxílio. - A Blue Pégasus nos aguarda.

Informações:
Vestimenta:

Missões:

Armas:
- Adaga Venenosa (5/6)

Magias:







Hp 605/605
Ck 1080/1080
Ms 2~45m/s

Bloom
avatar
Mensagens : 260


Ficha de magos
XP:
1357/1400  (1357/1400)
HP:
605/605  (605/605)
MP:
1880/1880  (1880/1880)
Bloom

Voltar ao Topo Ir em baixo

Postado em Qua Ago 15, 2018 6:16 pm

Fairy Christmas!
Na note anterior, Ochako mal havia dormido, motivo ? Ansiedade para poder espalhar a magia do natal para as crianças carentes. Como nunca tivera na situação de necessidade, tendo vivido no conforto da casa dos seus pais até decidir seguir o caminho de maga na Fairy Tail, como seu pai, um mago com capacidade de alteração dos objetos físicos. Nunca havia ganhado dinheiro por conta própria, sendo dependente até então, contudo desde que chegara na guilda e se tornara maga oficialmente, sentia que era a sua vez de trazer um pouco mais de alegria, principalmente para crianças que não tiveram a mesma sorte que ela.

Já ao nascer do Sol, Ochako acordava com o despertador de cuco tocando ao lado da sua cama. Mesmo com toda a preguiça do amanhecer, um banho e tratamento da higiene corporal foram suficientes para enche-la de energia, havia comprado uma fantasia especial para aquele dia, supunha-se seu nível de empolgação. No bar da Guilda, onde todos se encontravam comumente, a garota procuraria os seus amigos, afinal iriam trabalhar juntos naquele natal ... Bem como na grande maioria dos dias, mas detalhes são meros detalhes. – Joeeeee ... Pãpãn, estão prontos ? Prontos para aflorar a alegria nos rostos de crianças necessitadas de heróis ?! – Diria a garota, executando uma posse de ridícula heroína, não que ela fosse maluca da caixola, apenas havia adquirido um pouco das características dos seus amigos, neste caso em especial, Joseph.

Saindo todos os três juntos da Guilda, Ochako escalaria Pão com Manteiga pelas costas, onde sentaria sobre seus ombros. – Avante, ao infinito, e além! – Exclamava, carregando em suas costas um saco, para completar a fantasia de papai noel que vestia.  Além da dupla, estava combinado de haver uma interação com outras pessoas, a equipe, trabalharia em equipe, tem algo melhor do que fazer novos amigos ? Ambos lhe eram estranhos, dãã, era de se esperar. Não deveriam ser natos de Magnólia, mas ainda assim pareciam pessoas confiáveis. Deixou que Joe conversasse um pouco com sua conhecida, uma gatinha, muito fofa por sinal, pobre Ochako que não sabia como poderia ela ser mortal.

Chibi-chan fora um apelidinho que Ochako gostara bastante de receber de Bloom, no que um sorriso se formou instantaneamente. – Olá, gatinha ... Não, pera... parece que eu dei em cima dela, né ? Que Horrô!– Risadas divertidas acompanharam suas palavras, mas que não demoraram pra se encerrar. – Sim, girl power! ... Eu sou a Ochako, e espero que possamos ser amigas. – Completaria o cumprimento para a Exceed, se demonstrando bem interessada nela, em sua raça, magia, guilda, talvez pudessem conversar por oras. – Cueio é um apelido ótimo .... Ela sabe dar apelidos muito bem – Sussurraria para Joe e Pão, balançando-se como um pendulo de um lado para o outro mais rápido do que poderia falar, algo consideravelmente engraçado. – Aliás, tem certeza que ela não é um espirito celestial ?? – Mantinha aquele ritmo ligeiro e um tanto quanto engraçado, mas recebendo a resposta de alguns membros do grupo, provavelmente até mesmo da Exceed, Ochako assentiu com a cabeça, com os olhos brilhantes ao saber que também se tratava de uma líder de guilda. – Ai, já sou fã. – Comentou sem muita enrolação, esperava que não a julgassem como uma alpinista de amigos, ainda que tivesse literalmente escalado Pão ... Mas enfim, vocês entenderam. – E meu deus ... Ela também voa. – É, pois é, quando não se espera que mais nada te surpreenda, teu ídolo vai lá e “pá”, é quase como ser fã do Mito Zlatan.

Quando Kuroi se afastou do grupo, não sabia muito bem como separar as duplas, logo comentando com um sorriso. – Bem, eu e o pão vamos por aqui. Boa sorte Joee! Boa sorte Cueio! – Cumprimentaria os seus amigos com um sorriso ainda presente na face, de modo que não tardaram muito para seguir como dupla ao lado de Pão com Manteiga. Em meio à jornada entregando muitos presentes em dupla, Ochako não deixou de comentar com seu amigo – Pão, qual foi o seu presente de Natal predileto ? – Enquanto passa uma caixa de presente embalada para um menininho que conseguia ser menor do que a Nanica da Fairy Tail. – Toma, pra você, feliz natal! – Diria sorrindo enquanto o presente era entregue para a criança. Um sentimento de alegria tomava conta de si.  Após várias horas de trabalho entregando presente, a noite já caía tarde, no que Ochako não pode deixar de bocejar, tendo o punho fechado esfregando os seus olhos. – Mas que sono ... Já devemos estar próximos das duas horas. – Comentaria com pão, sendo aquela a ultima entrega em casas e orfanatos.

A menina esticaria os seus braços, sentindo-se enorme por estar no ombro do gigante. – Sabe pão, seu nome é Pão mesmo ? – Indagaria com uma certa duvida. De toda forma, e qualquer resposta que ele desse para ela, a menina apenas sorriria, sendo que Pão com Manteiga seria o nome dele sempre, ainda quando fosse adulta e possivelmente chata. A missão havia acabado, no que quando se reuniram de volta, Ochako já dormia no local onde se encontrava. Não pode rever o cueio, ou a exceed que cuja havia virado fã. Apenas retornaria para a guilda junto com seus amigos, Joseph e Pão com Manteiga.

HP: 300 | MP: 300 | VEL: 2 m/s

Considerações:
- Velocidade de caminhada comum: 2 m/s
-  Trama Natalina
Ochako CS Keys:
Gimini, os Gêmeos


Horologium, O Relógio


Polaris, a Ursa Menor
Notes: Merry Christmas!  Tagged: With the Fairy, Pegasus and Cueio Gang! Wearing: Santa's Clothes
THANK YOU WEIRD BY LOTUS GRAPHICS EDITION!
Ochako
avatar
Mensagens : 98

Idade : 14

Localização : Magnolia


Ficha de magos
XP:
150/250  (150/250)
HP:
500/500  (500/500)
MP:
500/500  (500/500)
Ochako

Voltar ao Topo Ir em baixo

Postado em Sex Ago 17, 2018 2:37 am

Certo dia, Pão com manteiga iria chegando de uma missão complicada longe de Magnólia, em algumas ilhas gélidas que foram perdidas no mapa provavelmente. O mago teria tratado alguns assuntos impertinentes com Theodore após chegar, na qual recebeu uma notícia um tanto impactante para o gigante pedaço de "Pão". Todavia, um segundo recado fora dado. O dia seguinte teria uma missão especial para toda a guilda, na qual até mesmo outras guildas participariam da mesma neste grande evento na cidade. Era natal. O espírito natalino estava aflorando nos corações das pessoas e Krayvhuz nem teria notado nada do tipo, pois sua missão teria sido árdua e aquilo mais a viagem de retorno, lhe tirou totalmente a noção do tempo. Seja como fosse, Pão com manteiga teria que se preparar para o dia seguinte, pois ajudaria distribuir presentes por toda a cidade. Não teria outra escolha a não ser aceitar, mesmo que não quisesse, pois o rapaz queria participar de algo assim. Ele não lembraria de ter ganho presentes, sua mãe e ele eram pobres e sem condições, mas a pequena cidade de Shirotsune Town, costumavam se reunir para um grande banquete simples, com cada um doando algo para uma ceia farta.

Enfim, Pão com manteiga após uma convocação inesperada, teria agora tempo para pensar melhor no que faria de sua vida com aquele pedido feito por Theodore. Era algo realmente a se refletir. Foi para seu quarto após a janta, e lá ficou por toda a noite. Até mesmo recusou o costumeiro convide de Joe para jogar conversa fora. A noite seguiu seu rumo e de manhã ao acordar no próximo dia, Krayvhuz se arrumou e foi descendo as escadas para o ponto em comum com os demais membros. Ochako-chan chegaria bem animada para consigo e Joe. O grandalhão não estaria tão eufórico, quanto a garota. Mas certamente ficava imaginando como seria.

Espero que de tudo certo.

O trio se alimentava para dali a pouco saírem, afim de seguir até a tal empresa que lhes contrataram para promover esse grande evento naquela noite. Ao chegarem lá, os três foram reunidos com mais duas pessoas. Pareciam que trabalhariam em equipe, ou era o que parecia. Mas na verdade nada mais era que apenas mais membros para ajudar a levar mais presentes a toda a cidade, afinal cobrir Magnólia com apenas três magos, era impossível em uma noite. Um deles era um rapaz na qual o mago enorme já teria conhecido dias atrás e até mesmo treinados juntos. Com educação distinta e um jeito meio reservado, o dragon slayer o cumprimentou.

Olá Elijah.

Fora ele, havia um felino. Que até então o rapaz estranhava por estar de pé como um ser bípede. Era estranho no mínimo e ele nunca teria visto tal criatura em toda sua vida. O mais intrigante foi quando ela começou a falar que nem uma tagarela. Pão até mesmo arregalou os olhos por um breve instante, um pouco desacreditado com o que via.

" Quem imaginaria que animais falassem? Bom... Parte da minha criação foi feita por uma dragoneza e sou um dragon slayer. Acho que sou a última pessoa a ter que achar isso inacreditável. "

A mesma se virava e para o grandalhão e também falava com ele com certa intimidade, mesmo nunca tendo se visto antes. O mago ponderou como trata-la, não sabia direito quem era e nem seu nome, por hora. Então falou a primeira coisa que veio em sua cabeça de pensamentos não muito rápidos para essas situações.

Saudações, Bola de Pelo.

Mais clichê impossível. Provavelmente o jovem teria ouvido essa em alguma ocasião e a lembrança se remeteu a este momento único a qual conhecia a gata que se identificava como Kuroi Mirai, líder da guilda Blue Pegasus. Pão achava estranho e decidia que aquele nome não combinava com a felina em sua aparência, fazendo até mesmo a importância de seu cargo sumir da reflexão do mago. Mas sentia que ele também não podia tirar esse tipo de conclusão, já que era conhecido como Pão com Manteiga. Nome que ele quase acabou não mencionando para a peluda.

Prazer, me chamam de Pão com Manteiga.

De forma meio que intuitiva, a gata acabava lançando ideias de como prosseguir com a distribuição dos presentes e sem rodeios, ela coletou um saco que lhe comportava e saiu voando como um pássaro. Aquilo foi ainda mais bizarro que um animal falante. Mas Pão não estaria ali para julgar, e sim para aprender. Ter tal conhecimento, só lhe mostrava o quanto o mundo era grande e que ainda haveria muito a descobrir, e que naquele momento ele estava tendo o privilégio de conhecer uma nova raça.

Aquilo marcava o inicio da longa caminhada durante a noite. Ochako aparentemente já estava decidida do que faria, e Krayvhuz por ser um pouco passivo nessas coisas, acabou sedendo a escolha da garota e levar presentes as crianças e demais necessitados. Se abaixou e pegou um saco pequeno para Ocha-chan levar, apesar que todo o peso real, seria o robusto rapaz que estaria a carregar, uma vez que a jovem pequenina estaria encalhada em seu ombro. Quanto a ele, pegou um enorme saco, o maior de todos, assim como ele, e foi seguindo o caminho do natal. Mas não antes de um dos funcionários surgir do nada e prender um chapéu de papai noel na cabeça de Krayvhuz e vesti-lo com roupas a caráter. Como ele teria feito aquilo, o dragon slayer não sabia. Talvez fosse o mesmo tipo de magia que Ochaka usaria.

E assim, bem "uniformizado", Pão com manteiga fora seguindo uma rua. Enquanto Joe e o outro garoto pareciam se entender e seguir por outro caminho totalmente diferente do deles. Durante o percurso, a garota parecia bem contente e alegre. Ela de fato sempre era daquele jeito e Pão com manteiga gostava bastante de estar rodeado de pessoas com certa paixão pela vida. E entre algumas entregas e outras, a menina lhe questionava algo.

Bom... Como posso dizer. Nunca ganhei presente algum na vida. Mas estive relembrando os bons momentos da ceia de natal com o povo da terra em que fui criado. As noites incomuns no monastério em que passei alguns anos e dos vo...

Pão se calava na hora, como se estivesse cortando mesmo o que falaria. Talvez fosse algo da qual não queria falar, mesmo sendo uma lembrança alegre de quando ele voava com Grandeeney por várias regiões do mundo, para simplesmente ver as festas que aconteciam em vários polos diferentes. Se a garota olhasse para o mesmo, poderia notar um inédito sorriso na face do homem. Este que fazia até algumas crianças que em alguns momentos estavam assustados, acabaram gostando do grandalhão que agora era amigável e parecia de fato um papai noel gigante.

As horas iam passando e a garota ia se cansando. Pão ainda estaria bem a vontade. Acostumado a caminhadas longas, não seria uma entrega de presentes que o faria desistir tão fácil daquilo. Mas enfim, a hora de retornar e se encontrar com os demais, era chegada e Ocha voltava a seu ombro. Ambos retornavam, com a garota novamente mantendo o silêncio, longe deles dois. Parecia um tanto interessada no mago que apesar de tudo, todos desconheciam sobre ele realmente. Não porque ele não queria notar, mas sim porque provavelmente ele espantava todos e não criava brecha para as pessoas interagirem com ele normalmente, afinal era grande, robusto, poderoso e mais um monte de coisa que mixadas, transbordava em um elo de intimidação a qualquer um que fosse. Com sorte, era tudo na verdade respeito. Entretanto, Ochaka finalmente fora a primeira a quebrar aquela barreira não impenetrável e atravessar pelo vale do desconhecido, dando agora seu segundo passo rumo ao passado de Pão com manteiga.

Nunca lhes disse meu nome, certo? Bem... Dizia de forma lenta e pensativa. Os monges dizia que meu nome era belo e demonstrava poder. Todavia, comentavam que era muito complicado de falar. E acabaram me apelidando de Pão com Manteiga, por eu gostar de comer isso, sempre de manhã. Mas meu nome real, é Krayvhuz.

Logo mais, todos retornavam ao ponto de encontro e as despedidas aconteciam por ali. Algo chamava a atenção de Krayvhuz, ao ver a maga da Blue Pegasus, com uma garotinha estranha. O que ela faria com a mesma, ainda era um mistério. Mas mistério esse que Pão com manteiga teria que ver ou descobrir, mais tarde e em um futuro um pouco distante. Sem mais delongas, todos iam embora, juntando novamente o trio da guilda da Fairy Tail, seguindo rumo ao seus lares. Logo mais chegavam até a sede da guilda e lá cada um ia seguindo para seus quartos. Contudo, Pão fora o único que foi até a cozinha para beber água, tendo alguns minutos de silêncio e reflexão. Ficou pensativo e com uma sensação de algo incompleto. Sentia que seu coração estaria desejando algo mais. Algo que fosse a cara dele próprio. Uma tomada de decisão teria que ser feita ali e agora.

Todas aquelas pessoas nos hospitais de Magnólia. Ninguém para acolhe-las ou levar presentes para as crianças doentes. Tantos pobres coitados com enfermos causando dores insuportáveis, até mesmo no natal. Por que fui tão indiferente? Preciso ser mais complacente. Preciso retornar para rua. O natal ainda não acabou. Na verdade ainda nem começou para aquelas pessoas. Estou decidido. Irei agora.

Aquele estado de duvidas e de estar confuso, haviam cessado. Agora apenas havia ali um grande mago destemido e determinado a realizar seu ato de altruísmo, ou seria apenas seu coração em chamas por levar a paz a todos os lugares? Seu espírito de liderança parecia aflorar cada vez mais. E assim ele o fez, virou meia volta e tornou a passar pelo portão de saída da fairy tail. Ali fora, próximo ao portão, ele não queria fazer barulho deles se abrindo e acordando os membros da guilda. E muito menos chamar atenção para si. Krayvhuz então olhou para trás, avistando os dormitórios e pôde notar que não teria ninguém no momento. Sendo assim, ele se virou novamente de costa para a construção da fairy tail e flexionando os joelhos, o mago se impulsionou para cima, utilizando seu vento para leva-lo aos ares e o fazendo voar como um dragão livre. Mal sabia ele, que seu melhor amigo Joe, estaria por algum motivo olhando a janela no mesmo instante em que ele se virou, e acabou testemunhando o grandalhão vestido de papai noel levantar voo do nada. Seria Pão, o verdadeiro papai noel?

Enquanto Joe travava uma luta mental, Pão estaria desaparecendo de sua vista ao adentrar mais na cidade. Ele ia avançando e pousava de frente a uma loja de brinquedos. Ele batia na porta e acabava acordando o dono que vivia no andar de cima e estava comemorando o natal com sua família.

O que você rapaz? Olha a hora. Estou com minha família.

Sinto lhe incomodar. Mas por favor, me venda alguns brinquedos agora.

Mas o que? Do que você está falan... O vendedor não conseguiu terminar de falar ao perceber a seriedade de pão em sua expressão. Ele apenas se calava e apenas dizia. Entendi, venha comigo.

Foram até a loja e em alguns minutos reuniram alguns brinquedos em um saco. O mago pagaria ele e apressado, saia com os brinquedos indo até a outra loja. Agora essa de comida e afins. E novamente o vendedor ficaria intrigado, mas de um jeito ou de outro, acabou sedendo após o mago convencer o mesmo a vender a ele. Dessa forma, o dragon slayer agora teria alimentos prontos para comer. Enfim, Pão com manteiga apareceu em diversas lojas e usando de seus Jewels, ele comprou presentes e alimento, e até mesmo remédios para os pacientes dos hospitais. Com tudo isso reunido, o mago se encaminhou para as clínicas e centros médicos que estivessem 24 horas funcionando, e lá apareceu como se fosse a última coisa que todos esparecem.

A principio, ficaram com medo, achando que fossem algum louco fantasiado de papai noel. Mas a atitude autoritária, porém, gentil e caridosa com todos, fora conquistando a confiança das pessoas, que iam apreciando a delicadeza do gigante e generosidade. Enquanto algumas enfermeiras ajudavam a entregar presentes, alimentos e remédios básicos, o dragon slayer também ajudava a curar alguns doentes e demais pacientes, usando de suas magias de cura, para que pudesse proporcionar o melhor natal possível para aquelas pessoas que só teriam motivos para chorarem e ficarem triste. Ajudou o máximo de pessoas que podiam, e logo mais partia para outros hospitais e repetia todo o processo, tendo recepções semelhantes, mas com desfechos únicos.

Depois de ficar a noite toda assim, os presentes finalmente haviam acabado. A comida teria sido bem aproveitada e muitos pacientes medicados. E o melhor, mutos sorrisos naquele dia especial. Pão não poderia ficar mais contente em ver tantas faces de alegria. Era tudo o que ele queria. Era esse seu cerne. E dessa forma, a compreensão e discernimento, finalmente chegou em sua mente, clareando finalmente sua decisão e resposta sobre a convocação que o mordomo fizera a ele quando o mesmo retornou da missão. Sem delongas, o mago retornava agora para sua guilda. Chegando lá, um grande silêncio de natal. O sol ia subindo, mas ainda estava escuro. Ninguém acordado, a não ser Theodore se levantando cedo, como de costume, para preparar o primeiro café do dia. Antes de sequer o mesmo sair de seus aposentos, Krayvhuz apareceu diante a porta dele, abrindo a mesma e meio cansado, com certo desgaste de magia. Entretanto, o rapaz estava agitado e ansioso. Parecia que não podia mais esperar por aquilo. Precisava dar sua resposta logo. E até mesmo assustando o sujeito, o dragon slayer falava abertamente ao rapaz.

Theodore-san... Eu já tenho a resposta para sua pergunta.


Considerações:
- Alguma ações foram tratadas em off com jogadores, para um futuro de plots mais interessantes.
- Magia de voo usada: -20 de mana.
- Se quiser descontar alguns Jewels, tudo bem. Desde que seja moderadamente. Fica a critério do avaliador.
- Mesma coisa com a Mana.

_________________
Pão com Manteiga
avatar
Mensagens : 278


Ficha de magos
XP:
862/1400  (862/1400)
HP:
600/600  (600/600)
MP:
1000/1000  (1000/1000)
Pão com Manteiga

Voltar ao Topo Ir em baixo

Postado em Sex Ago 17, 2018 9:54 pm

Maria Cristina


(Clica no quadradin branco)


O itinerante que vagava pelo mundo, sozinho, encontrou um novo objetivo. Depois de suas caminhadas por Fiore, conhecendo cada local, ele foi convocado para fazer uma missão, sendo um mago. Junto com outras pessoas, foi informado quem trabalharia junto a ele, o rapaz conhecia apenas um deles, Pão. Um amigo, seu laço com ele não é de longa data, mas o considera uma pessoa gentil e tem uma consideração por ele. O mago não foi um dos primeiros a chegar. O mesmo observou as pessoas, queria ter pelo menos uma convicção do grupo, começou fitando logo a gata, que a mesma se intitulava a líder da Blue Pégasus, era impressionante quantas pessoas fortes o rapaz estava encontrando ultimamente. Essa demonstrava ser alguém amigável e confiável. Em seguida, uma garota que aparentava ser mais jovem que o rapaz, uma pessoa bastante carismática. Pão, que o jovem já conhecia, talvez não precise tantos detalhes assim... E por último, um  homem alto e com um físico elevado, uma aglomerado de testosterona, seu olhar era de alguém humilde e simpático, além de um pouco infantil.

- Me chamo Elijah. Vai ser um grande prazer trabalhar com vocês. – Proferiu com um tom amigável, dando um passo à frente, seguido de um sorriso. Em um ato de respeito, ele apertou a mão de cada um, quando aproximou-se do rapaz de fios loiros, ele soltou uma pequena descarga elétrica em sua mão, bastante desprezível, apenas para causar um pequeno formigamento e arrepiar os pelos. – Vai ser um prazer trabalhar com você, Joe. – Acreditava ter acertado o nome do rapaz, já que teriam pronunciado antes e se referindo a ele. Seu físico demonstrava bastante força, será que muita resistência, isso que fez com que Elijah soltasse um mísero choque.

Após sua apresentação, ele olhou para a líder da Blue Pégasus com um olhar de duvida. – Cueio? – Indagou, mantendo o seu olho direito fechado. – Sou mais para um bovino por conta dos meus chifres, mas tudo bem... PERA! POR QUE DIABOS UM ANIMAL CONSEGUE FALAR? – Disse de tom alto, com as mãos na cabeça, bastante confuso e curioso. Todos ali pareciam se conhecer de uma longa data, talvez já tiveram passados por bastante momentos juntos. Um pouco de azar.

Com uma estratégia já definida, todos se separaram, ficaram sobrando apenas Elijah e o loiro. Com um saco grande, cheio de presente, tudo isso para ser distribuídos antes das 2:00 AM, além de uma roupa fora do comum. Veste semelhante ao do Papai Noel. – Você faz parte de alguma guild, certo? Sei que é um pouco desconfortável perguntar sobre isso, mas você tem algum sonho desde infância, né? – Perguntou com bastante confiança, querendo conhecer mais o rapaz, com o objetivo de construir uma amizade. E os dois continuaram conversando até começaram a distribuição. – Eu irei por aqui e você por lá. Até! – Correu, segurando o saco de presentes com sua mão esquerda, apoiado em seu ombro.

Magnolia era a cidade que a família de Elijah morava, será que teriam se mudado? Só esperava que não precisa-se encontra-los, já que eles não tinham um laço muito conveniente. Mas ele não se importava muito com sua família, já que teriam o abandonado em seu passado, por esse seu passado melancólico, ele tem um certo tipo de afeto pelas crianças.

- Número 412... Será está? – Parou na frente de uma residência, olhando para o papel que continha as anotações. Olhou o número da casa e olhou a janela, estava entreaberta, poucas luzes ligadas, uma casa relativamente humilde. Aproximando-se da janela, ele olhou para os lados e um pouco para o lado de dentro, notou que talvez as pessoas estivessem dormindo. Abriu um pouco a janela e adentrou na casa por ela, dando passos curtos e silenciosos. Retirou o presente do saco e colocou na sala, em seguida foi sair da casa, quando esbarrou em um móvel, fazendo um pequeno barulho, o suficiente para acordar uma pessoa, mas por sorte não teria vindo ninguém até agora. Quando estava saindo, ele ouviu a voz de uma criança. – É você, Papai Noel? Mas você era para ser mais gordo. – Sentindo o sentimento de que estivesse feito alguma besteira, o mago noel virou, olhando para a criança. – Eu não sou o Papai Noel, desculpe. Sou apenas um ajudante. Olha aqui, posso te pedir um favor? Não conte a ninguém o que viu aqui, e assim você verá a magia do natal. – Proferiu sorrindo. – Tudo bem! Eu não falarei para ninguém. Boa sorte, Ajudante do Papai Noel. – Disse dando tchau enquanto viu o jovem indo embora pela janela.

Feito esse trabalho e mais outros, o saco já estava quase vazio. Apenas continuou fazendo suas entregas onde deveria. E às 1:21 AM já não existia mais presente para entregar, então voltou para o ponto de encontro. No local teve as discursões e conversas, em seguida, saiu sem algum rumo.



◦◦◦
Zeppeli
avatar
Mensagens : 156


Ficha de magos
XP:
293/700  (293/700)
HP:
600/600  (600/600)
MP:
400/400  (400/400)
Zeppeli

Voltar ao Topo Ir em baixo

Postado em Sex Ago 17, 2018 11:58 pm



Muscles;
and merry christimas


S
ua infância assim como o breve início da vida adulta não foram lá períodos dotados de amor ou carinho paternal, pelo contrário, chegara a passar semanas sem sequer avistar a sombra do homem que lhe dera o direito de existir, não reclamava disso, pois sabia que tudo fora feito pelo bem de sua evolução, mas estava apto e completamente convicto que faria diferente amando ao mundo e todas as pessoas que nele existissem, alcançaria ao coração de todos estava certo disso. Sentia um leve frio na barriga ao imaginar o tamanho de sua responsabilidade naquela noite, nada que o fizesse perder desempenho ou coisa do tipo, estava mais para um tipo de animação prévia, falhas não estavam sequer passando por sua mente pois além de encarar a situação com grande importância também idealizava que essa mais trazia ansiedade do que perigos físicos, será que é assim que o Papai Noel se sente todos os anos?

A tarefa era clara e nobre até demais para um aspirante a herói como ele, dar uma forcinha ao bom velhinho e evitar que o Natal fosse um completo fracasso, uma empresa que das muitas se tornava rara por ainda se importar com a magia do natal - por marketing ou não - convocara uma legião de magos para terem um dia de velho do saco vermelho e sentirem na pele como era a noite mais agitada do ano para esse, recompensas não foram mencionadas ou dadas como certa, ainda assim Joe não tardara a se oferecer ao trabalho, como mencionado tantas vezes antes: "Um herói é aquele que almeja salvar as pessoas sem receber nada em troca.", e ainda que não fosse exatamente salvá-las de algo estaria colocando sorrisos em seus rostos. -Farei isso pelas crianças. - Comentava consigo enquanto lembrava que mesmo que realizasse seu serviço da melhor forma possível, ainda faltaria um sorriso a ser preenchido, é, nem sempre o aproveitamento é de 100%, mas tinha certeza que ela seria compreensiva e entenderia que sua ausência seria apenas por aquela noite. Reunido com uma trupe de amigos e um momentâneo estranho, Joseph não abandonava sua maneira curiosa de interagir e dialogar com as pessoas a seu redor, o sorriso que a todo canto o acompanhava sem dúvida não poderia faltar perante a ocasião, bastara juntar-se ao grupo para começar a falar pelos cotovelos. -Kuroi Mirai, a gata justiceira! Tenho passado muito bem, e você? Encarado muitas aventuras? - Iniciava abordando-a com um papo tipicamente decorado, não por obrigação é claro, se tornara mais uma iniciação própria que tomara para si no decorrer dos anos. -Nunca mais tive notícias de Iori, esse sempre me pareceu um homem ocupado, espero que um dia possamos nos reunir os três novamente. Apresentações tinham continuidade daqui e ali, não que os presentes não detivessem um vinculo prévio por conta das amizades em comum, fato que fora benéfico na otimização do tempo, no final das contas apenas um dos presentes precisara se apresentar para a maior parte do grupo, um rapaz de aparência simplória ainda que expressasse certo semblante convidativo aos demais, não negaria um aperto de mão a esse, ainda que sua malandragem surpreendesse o loiro. -Ôh sim, será um prazer confrade. - Gargalhava sem qualquer maldade.

Detalhes a parte, o time enfim parecia devidamente habituado um com o outro, era hora de colocar a mão na massa e uma boa ideia de Kuroi trazia a maneira com que isso seria feito, iniciativa sem dúvida era uma de suas qualidades. -Essa é uma ótima ideia saudosa Kuroi, a Blue Pegasus realmente tem uma grande líder no cargo. - Comentava sobre a decisão acatada por unanimidade, agora era sebo nas canelas rumo as casas a serem visitadas pelo Papai Joel naquela noite de Natal. Duas duplas eram formadas para otimizar a distribuição de presentes, Chako e Pão formavam a primeira enquanto Joe e Elijah a segunda e última, Kuroi optara por seguir sozinha, a julgar pelo velocidade e possibilidades que essa tinha a sua disposição a um tempo atrás seria melhor mesmo, achava difícil alguém ser capaz de acompanhar seu ritmo. -Os vejo mais tarde amigos, e Chako, cuide do Pão por mim esta bem? - Brincava com ambos pouco antes de se junto ao andarilho um pouco mais afastado aos outros, ironicamente quem costumava cuidar de Joe e Ochako era Pão que mais parecia um paizão. Todos se antecipavam deixando o ponto de encontro rumo as áreas que estavam responsáveis, exceto Joseph e seu companheiro de time, esse que por acaso parecia tão interessado no loiro quanto o mesmo no possível novo amigo, uma troca de palavras prévias a tarefa não faria mal. -Faço parte da Fairy Tail aqui mesmo de Magnolia, não se sinta mal por perguntar sobre meus sonhos, mas eu prefiro chamá-los de objetivos, pois sei que irei alcançá-los. - Cerrava os punhos trazendo um desses próximo ao peito, em um gesto de convicção. -Trarei conforto a aqueles que não podem alcançá-lo por conta própria, serei o ídolo em seus corações, o simbolo da paz... Esse é meu objetivo, e o seu, meu amigo? A resposta do questionamento ficava para mais tarde, um bom aglomerado de casas se aproximava e uma breve divisão parecia necessária, assim conseguiriam cobrir um perímetro maior e quem sabe terminar o serviço mais rápido. -Combinado!

Vestido a carácter e dentro do personagem, Joe iniciava sua noite de Papai Noel lançando-se as chaminés alheias em uma queda única residência a dentro, apesar da brutalidade das palavras sua entrada era dinâmica ainda que silenciosa, nem parecia que detinha todo aquele tamanho. -Uma já foi... - Se continuasse nessa velocidade terminaria brevemente. A aventura continuava rumo as regiões mais periféricas da cidade, casa por casa era visitada pelo corpulento Papai Joel que além de um presente próximo a arvore decorada deixava um pouco de seu amor a aquela família, em contribuição algumas até deixavam algumas guloseimas como biscoitos e afins sobre a mesa com uma singela cartinha para o bom velhinho, era de encher os olhos de lagrima, não gostava de reclamar da vida que tivera pois o luxo não o permitia realizar tal ato, e por isso buscaria secar as lágrimas com o calor no peito que sentia durante aquela experiência, faltavam poucas casas para que o serviço estivesse completo e a noite de natal salva. -Essa é a última. - Comentava bem acima da última das casas, sua chaminé estava aberta convidativa a sua entrada, não demorara muito a tomar tal decisão. No cômodo principal notava um leve foco de luz vindo dos quartos localizados mais ao canto, aproximando-se sorrateiramente até a porta entre aberta conseguia ver um pequeno garoto sentado a frente da janela aparentemente cabisbaixo, esse sussurrava consigo mesmo lançando pra lá e para cá frases de completa descrença, parecia não acreditar mais no espírito do natal por ter pego os pais colocando os presentes em uma noite anterior ao natal passado, Joseph se sensibilizava com aquela cena a ponto de ter uma ideia para trazer a fé novamente ao pequenino. Posicionando o último pacote existente em seu saco vermelho na mesa do cômodo que detinha ligação com a chaminé, o loiro puxava todo o ar possível e soltava um alto e longo "HOHOHOHO!", o gargalhar bastante característico chamava a atenção do garotinho que corria assustado em direção a sala, ao olhar para a passagem da chaminé o vermelho e conhecido gorro vermelho deixava-se amostra antes de subir a saída de ar junto a seu detentor, não fora lá uma tarefa muito fácil mas pelo menos conseguira colocar um sorriso na face do garotinho.

De volta ao ponto de encontro os envolvidos se reunião aparentemente vitoriosos em sua tarefa, um pouco mais de conversa tinha procedência antes das despedidas terem início. -Nos vemos em breve Kuroi, tenha certeza disso. - Dizia a Kuroi com um sinal de positivo. -Foi um prazer te acompanhar meu amigo, espero que nossos caminhos se encontrem logo. E a Elijah junto a um aperto de mão de sua parte, Chako e Pão o acompanhariam até a guilda, afinal esse era o lar do trio. Já na guilda poucos pareciam ainda estar acordados, ele mesmo começava a sentir sono e acreditava que uma ronda naquele horário não seria muito necessário já que acabara de chegar da rua, talvez fosse melhor ir dormir mesmo, mas antes um rotineiro boa noite a mãe Lua e as belas estrelas. -Foi um bom dia, tenho que admitir, boa noite brilhosa mãe... Pão? O que ele faz ali? - A dúvida chegava a sua mente no instante que avistava o melhor amigo do lado de fora da guilda, ainda estava vestido como bom velhinho e aparentava focar o horizonte, ainda que fizesse bastante isso não conseguia entender os porque que levavam o rapaz a permanecer ali. -Vamos Pão, porque continua ai, algo está te... Incomodando... Quando menos esperava visualizava o amigo alçando voo subitamente, toda a cena unida aos trajes que vestia e as dimensões excessivas levavam Joseph a pensar em uma única coisa. -Pão é o... Papai noel. - Mantinha-se boquiaberto com a cena.

HP: 250 | MP: 350 | VEL: 2 m/s

Esta tudo bem agora. Por que? Porque Joseph, o número um da humanidade, esta aqui!


_________________
JOSEPH GUSTAV NEWTON
THE WHOLE FORCE OF HUMANITY IN A SINGLE BEING.
Joe
avatar
Mensagens : 151

Idade : 20

Localização : Magnolia, Fiore


Ficha de magos
XP:
315/800  (315/800)
HP:
450/450  (450/450)
MP:
550/550  (550/550)
Joe

Voltar ao Topo Ir em baixo

Postado em Ter Set 18, 2018 8:14 pm

Atualização da Trama(a)


Assim que retornara para sua residencia, havia uma pequena caixa muito bem embrulhada em papel branco com um laço em cetim vermelho com um envelope e um pequeno cartão com os seguintes dizeres

" Agradeço por sua ajuda, Jovens Magos. Infelizmente este é o único contato que poderei fazer, mas que receba este humilde presente como prova de sua retribuição. Um feliz natal e um próspero ano novo.

Presidente Nicolas- SPNE Corporation "


- Fruta Tenrou- um fruto muito semelhante a um pequeno pêssego tem o sabor adocicado e infelizmente não é conhecido por muitas pessoas. Apenas membros da Fairy tail tem conhecimento sobre tal fruta. Ao ser ingerida cura 50 % do hp e mp do mago. ( 1/1)

- 250 de xp

- 3.000 jewels




_________________

Death wait for you
Death
avatar
Mensagens : 143

Death

Voltar ao Topo Ir em baixo

Postado

Conteúdo patrocinado
Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissoes deste sub-fórum
Você não pode responder aos tópicos neste fórum